Teorias: Por que, Como e Quem é a Virgem Escriba?

Oi, pipow!

Ontem eu estava rolando na cama tentando dormir, pensando em um milhão de coisas que tenho pra fazer essa semana, quando a mente começou a dar uma viajada em um dos assuntos que sempre ocupam boa parte do meu tempo: a Irmandade da Adaga Negra.

Parece exagero, mas é assim mesmo. A IAN faz parte da rotina. 
Tipo: tenho que fazer compras, chamar o cara pra consertar o teto do banheiro, dar banho no cachorro e ler sobre/pensar sobre/escrever sobre/teorizar sobre a IAN.


E se tem um assunto que escasqueta minha cabeça é a Virgem Escriba: de onde ela veio, pra onde ela vai, por que ela é assim?

É claro que quando a WARDen começou a escrever sobre a Irmandade ela não sabia a dimensão que essa coleção teria, nem o alcance mundial, nem nada. E, pra mim também fica claro quando releio os livros (porque, gentem, eu releio os livros toda hora. Podem dar uma olhada no meu Skoob, tem sempre um ou dois livros da IAN em leitura), que as ideias foram amadurecendo e mudando conforme o tempo passou e a estória evoluiu.

Por exemplo, o Phury inicialmente seria celibatário por ter perdido sua shellan em um ataque de Redutores; ele e Zsadist não seriam irmãos, muito menos gêmeos; inicialmente Vishous não seria filho da Virgem Escriba.

Então, não sei qual a intenção inicial em relação à Virgem Escriba, mas, quem lê os livros, vive e respira IAN, nota que seu papel mudou de Amante Sombrio pra cá. Só que não foram dadas muitas explicações sobre a megera deusa.

Mãe da Raça.
Venerável.
Vitaminada.

Por que a galera dá tanta pelota pra ela? Hehehehehe

A verdade é que eu não sei.
Maaaaaas, tenho cá minhas teorias que gostaria de compartilhar com vocês.

Vê se vocês gostam da minha viajada:

A Virgem Escriba e o Ômega são ambos filhos do Ser Supremo. Isso já foi dito.
Esse Ser Supremo, Mandachuva total da galera é o chefe do Lassiter e dos anjos de Fallen Angels. Portanto o que acredito é que ele seja a versão do Deus que a maioria da galera acredita (dessa vez quando digo galera, digo nós, as pessoas de verdade).
A VE e o Ômega então seriam como semideuses, ou mesmos arcanjos superpoderosos.
Daí dá pra aceitar o fato de ela ter um nome: Analisse (lá em Amante Sombrio tem a menção desse nome), já que os anjos de Fallen Angels têm nomes também.

Agora vem a parte que eu inventei da minha cabeça, mas que pra mim seria uma boa saída para esclarecer um monte de aspectos da trama: todos os anjos eram livres pra fazer o que quisessem, mas só Deus poderia criar, apesar dos seres como a Virgem Escriba terem esse poder, mas não a autorização (saca, aquela coisa de deus punitivo que um monte de religiões adoram).
Ela tem a ideia de criar um aprimoramento do ser humano, talvez até mesmo como homenagem ou sugestão para seu Pai. Aí eu digo que os vampiros vieram depois dos seres humanos, pois tem em algum livro dizendo que os vampiros só existem há 20 mil anos na Terra.

Talvez seu Pai não tenha levado numa boa, e considerado que isso foi uma insubordinação, apesar da Virgem Escriba ser seu mais leal e dedicado acólito (isso eu também estou supondo). Por isso puniu sua criação com a maldição de não suportarem a luz do dia e só poderem viver à noite.

Além disso a castiga por ela ter interferido no equilíbrio das coisas, e a coloca no Outro Lado, para que ela oriente e controle sua criação e deixe de ser soberba achando que tem a capacidade de criar algo de forma irresponsável.

Adicionado a isso, o Ser Supremo retira a capacidade dos outros seres como ela, inclusive o Ômega, de criar. Só que Ômega fica muito puto por isso, amargo e irascível. E atribui somente à ela e à sua criação a culpa por ele ter perdido parte de seus poderes. A partir daí usa suas artimanhas não para criar algo, mas para denegrir e transformar o que já tinha sido criado: os seres humanos; e transforma os humanos que consegue convencer em Redutores com o único objetivo de exterminar a criação de sua irmã.

Talvez, vendo o estrago e o rancor maligno de Ômega, o Ser Supremo tenha castigado ele ainda mais o banindo para o Dhund, assim como tinha banido a Virgem Escriba para o Outro Lado.

Só que os dados já tinham sido lançados: a criação da Virgem Escriba estava sobre a Terra, se multiplicando biologicamente, e Ômega tinha encontrado uma maneira de sempre atravessar para este plano usando seu sangue, que está dentro dos Redutores, como porta.

Bem, isso foi tudo o que eu pensei nos minutos antes de conseguir dormir.
Na verdade, algumas dessas ideias vêm se formando há certo tempo na minha cabeça, mas só ontem elas se encaixaram.

E vocês? Têm alguma teoria sobre esse ou outro assunto?

Manda pro Peixinho e vamos discutir!

11 comentários:

  1. Gabi,faz muito sentido sua teoria,mas eu acho que eles foram criados pelo ser supremo e ela foi designada para controlar e velar por eles e o Ômega,se sentiu passado pra trás e com inveja se rebelou.Ela tem muito poder,mas não o suficiente pra criar,senão ela já tinha melhorado a balança,em favor dela.Tb,ela errou muito,principalmente em relação aos próprios filhos,o criador não seria tão cruel assim e estaria muito acima da estória de ter que transar pra dar a luz a um filho,como ela pôde se misturar com o bloodletter,se ela fosse um poço de virtude?

    ResponderExcluir
  2. Ei, Gabi! Ai, como é bom saber que não sou a única que fica maquinando teorias ou simplesmente pensando em IAN durante o dia!!! Adorei sua teoria, acho bem plausível, viu? Especialmente a parte de que o Ser Supremo ferrou com os poderes do Omega por causa da gracinha que a VS aprontou de criar uma raça inteira sem dar satisfação pro papis, e que por isso ele se dedica agora a matar todo e qualquer vampiro que caminha pelo mundo. Sempre que tiver teorias bacanas, conta pra gente!! :)

    ResponderExcluir
  3. @Rita Bandeira Gostei do seu comentario, concordo que o que vc disse faz sentido.

    ResponderExcluir
  4. TEORIA DA CONSPIRAÇÃO, gente! Se tem algo que eu A-DO-RO é isso! E adorei mesmo a teoria... ainda mais pq explica tb o motivo de nossa querida VE ser uma tremenda FDP mau amada! heaiheaiuheaiuaehiah Ah ela é amarga sim, fala sério... E o lance de arcanjos/semideuses cai muito bem, vc deu forma à idéia que vinha ainda se formando na minha cabeça até então. Suas horinhas de insônia rendem bem, amiga!

    ResponderExcluir
  5. Gabi, adorei seu blog! Bem, eu tb sou mega fã da IAN, já li e reli inúmeras vezes todos os livros. E concordo c/ vc: a Ward não tinha noção da dimensão que sua série alcançaria. Percebo que ela acabou se perdendo entre tantos livros, de tal forma que a estória tem buracos imensos, perde a lógica. Em vários livros, há inúmeras incoerências. Agora, imagine Vicious c/ aquela mão poderosa, capaz de incendiar uma cidade, sendo constantemente feridos por redutores. O que Ward deixa claro é que a Virgem Escriba é uma deusa e que seu pai, Deus, concedeu a ela um só ato de criação. Ela deu origem à espécie dos vampiros. Para todo positivo, há um negativo (bom/mau, perda/ganho), p/ garantir o equilíbrio. Então, Ômega, irmão dela, seria o equivalente ao diabo, criando seres malignos, gerando destruição. Lassifer seria o anjo caído, expulso do paraíso de Deus, e agora tenta se redimir, agindo no mundo da Virgem Escriba. E pára por aí! Como deusa, ela gosta de ser reverenciada, sentir-se no controle de sua criação, é protetora e punitiva (p/garantir o tal do equilíbrio). Mas estamos no décimo livro e a estória avançou pouquíssimo. Fica, no frigir dos ovos, só nessa luta sem sentido entre irmãos e redutores. E, à essa altura do campeonato, qdo praticamente todos os irmãos estão c/ suas shellans, é que ela resolve que precisa de um primaz, ou seja, um garanhão, p/ reproduzir c/ suas Escolhidas. Antes, ela não estava preocupada c/ isto. A guerra já era intensa, uma carnificina. A idéia de Ward é ótima, mas ela ficou entre contar a vida dos vampiros e a luta pela sobrevivência, e a vida amorosa de cada Irmão. Aí vem o ganho financeiro: qtos mais livros, mais dinheiro. E acho que tem um timing, um tempo p/ nascer, desenvolver e morrer uma estória. Em Amante Consagrado, senti que ela estava escrevendo por pressão, pois a achei extremamente displicente c/ a estória do Phurry, faltou mais "pegada" dele c/ a Cormimal. Qdo uma estória (no caso a IAN) se estende mto no tempo, perde o impacto. Pelo menos para mim. Adoro a IAN e acho que ela poderia sim aproveitar bem melhor a ótima idéia que teve.

    ResponderExcluir
  6. Foi um grande peido na farofa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkkkkkkk
      Não entendi muito bem o q vc quis dizer, pq eu costumo falar q alguém peidou na farofa quando essa pessoa perde a coragem de fazer alguma coisa, tipo: "fulano foi pular d pára-quedas, mas peidou na farofa", ou seja, amarelou, perdeu a coragem.

      Vc achou a teoria confusa ou mal elaborada mesmo?
      Como eu disse ali em cima, não tenho nenhum embasamento, foram só umas caraminholas rolando na cabeça.

      E o espaço aqui está aberto p vc também escrever as suas teorias. De repente vc viu coisas q eu não vi e é sempre muito bom olhar sob um ponto de vista diferente.

      Agora fiquei curiosa: qual a sua teoria sobre a VE, o Omega, a criação dos vampiros, redutores e tudo mais?

      Bjus!!!

      P.S.: Pq vc acha q seria moderado? Não achei seu comentário ofensivo nem nada. Deveria ter me ofendido?

      Excluir
  7. Eu sei que não vai ser aprovado.

    ResponderExcluir
  8. Mas o brasileiro não pode desistir.

    ResponderExcluir
  9. Ual eu gostei das suas teorias e gsotei do seu blog.

    ResponderExcluir
  10. Bom, quanto ao fato da VE não tolerar que lhe façam perguntas , acho que é por que ela não tem todas as respostas e tem medo que sua criação descubra que ela não é tão onipitente assim e que a abandonem ...

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...