Cordas Rompidas - Rafaela Guimarães: Novos autores nacionais na parada!

Pessoas, fazer resenha é difícil, mas fazer resenha de livro de amigo é ainda mais difícil...
Olha só a saia justa onde me enfiei, porque essa resenha é sobre o livro de estréia da ultra-mega-power fofa da Rafaela Guimarães, minha amiguinha linda.

Mas, vamo lá, respirando fundo e saltando. Igual bungee-jump.


(crédito da imagem para Editora Baraúna)

Conheci a Rafa na Bienal do Livro de 2011 aqui no Rio no stand da Universo dos Livros, durante o evento de Encontro de Fãs da Irmandade da Adaga Negra.
A Rafa é essa gata aqui. Uma menina que além de linda e simpática é muito inteligente e divertida. Uma fofa em todos os sentidos!!!


(crédito da imagem para Mentalmorfose)

Daí que eu fui num encontro de autores nacionais no início desse ano e meu exemplar tem uma dedicatória muito gracinha (até a letra dela é lindinha! Hehehehe).

Sobre o livro:
Não conhecia a Editora Baraúna, mas achei que eles poderiam ter caprichado mais na arte da capa e na diagramação. A revisão também deixou a desejar, e grande parte dos problemas apontados pelas resenhas teriam sido sanados se houvesse uma boa equipe revisora para "betar" o desenrolar da estória.

P.S.: Só pra esclarecer, "beta" se refere àquela pessoa que lê tua estória e aponta erros de concordância, de pessoas, de ponto de vista, de ritmo. Isso é completamente normal. Todos os escritores precisam de uma equipe pra isso. Por exemplo, se você ler os comentários da WARDen no Guia da IAN vai perceber que muitas vezes seus "betas" foram importantíssimos para ajudar a tirar uma parte da estória que não estava funcionando, pra sugerir saídas quando a narrativa estivesse emperrada, até mesmo para apontar os deslizes gramaticais (que todo mundo comete).

Sobre a trama:
É uma estorinha fácil de ler, fácil de digerir. Quando você percebe, o livro, que tem 241 páginas, já acabou!
Sobre o enredo é tudo bem singelo: Lizzie Lewis é uma menina traumatizada por um acidente de carro que matou seu namorado e seus melhores amigos. Ela está na faculdade, morando sozinha numa república quando é obrigada a aceitar outra companheira de quarto, mas por uma confusão nos registros, aparece um garoto, Gregory Harris.

Muita coisa acontece entre eles se aproximarem, se afastarem, crescerem, mudarem, se reaproximarem... Enfins, história da vida de todo casal.

Confesso que a Liz é meio irritante. Mas tenho certeza de que a Rafa fez isso de propósito, porque o Greg é muito mais interessante.

É bem bonitinho, a cara da Rafaela.
Tem um drama no final, como não poderia deixar de ser, mas termina com final feliz e fofo. É levinho e você sai da leitura tranquila.

Pontos críticos:
Eu geralmente sou muito cruel nas críticas, mas também não sou uma carrasca. Vamos ponderar que a autora está na sua estréia e é uma menina que vai se desenvolver muito mais com o passar do tempo.

Algumas coisas ficam a desejar: o ritmo é inconstante. Às vezes as coisas acontecem rápido demais, como a aproximação de Greg e Lizzie, já que ele sai se metendo na vida dela 5 minutos depois que a conhece. Ok, a gente já sabia que eles iriam ficar juntos, mas a aproximação poderia ter sido feita de forma mais gradual.


(crédito da imagem para World City Wallpapers)
Skyline de Nova Iorque no início da noite. Lindo, não é...

Pesquisa: sempre um problema. Quando eu fui ao encontro de autores nacionais percebi que é uma constante as meninas super novinhas localizarem sua trama em outros países. Muitas vezes acontece de elas nunca sequer terem saído do Brasil. O que não invalida essa escolha, MAS, a atenção à pesquisa deve ser redobrada!
No caso de Cordas Rompidas, onde o início se passa numa universidade norte americana, depois segue para San Diego e Nova Iorque, há alguns erros de pesquisa importantes.
- Um exemplo é o jardim florido em pleno inverno. Bem, isso pode acontecer aqui no Rio, mas em Nova Iorque é impossível haver floração em um jardim externo durante o inverno, já que a temperatura média por lá é de 1º C. Mesmo no Condado de Ulster, que também é no estado de Nova Iorque, o inverno é bastante rigoroso. E, não sei se o problema foi só comigo, mas na verdade visualizei as cenas em Ulster como cenas de outono ou primavera (passeios no bosque, cenas externas...);
- A cena do tiroteio também ficou sem sentido, porque foi muito estranho haver um tiroteio na rua de um condomínio de luxo e nada ter acontecido depois disso, como ligações para 911, ou o barulho de sirenes de polícia. Ainda mais pelo tempo que parece ter durado. O tiroteio serviu para dar a Greg a oportunidade de ficar na casa de Liz, mas certamente isso poderia ter acontecido com uma outra motivação mais bem estruturada, não é verdade?
- Sobre o psiquiatra também foi uma escorregada séria, porque jamais o psiquiatra pode ser seu amigo pessoal. O profissional precisa ter afastamento senão o tratamento fica comprometido;
- Sobre a profissão de Greg há uma escorregada no processo de desenvolvimento de um projeto e o tempo que leva desde a elaboração até o início da construção. É tudo muito mais trabalhoso e demorado. Muuuuuito mais...

Pontos positivos:
Como já tinha dito, a leitura flui tranquilamente. A gente se envolve, se enxerga de alguma maneira nos personagens. Uma mínima correção no ritmo da trama e nas pesquisas, e a estória poderia ter acontecido com praticamente qualquer pessoa.

Tenho muita fé de que a Rafa continue escrevendo e que seus romances se aprimorem cada vez mais, que ela vá se firmando como escritora, estudando, perseverando.
Espero que ela receba as críticas como estímulos para melhorar sempre. Muito do que foi falado aqui como pontos a serem melhorados têm a ver com a ansiedade de publicar logo, de ver seu trabalho e seu esforço traduzidos em algo palpável.

Quem quiser conhecer o processo de parto do livro, o blog é o Cordas Rompidas.

Outras resenhas sobre o Cordas em:

E sim, eu recomendo a leitura do livro.
Recomendo porque a maioria das pessoas viciadas em literatura tem um escritor tímido dormindo dentro de si. O livro da Rafaela Guimarães prova pra você que é possível colocar pra fora aquela estória fenomenal que está fervilhando na sua cabeça. Ela é uma garota como eu ou você, que simplesmente correu atrás de seus objetivos e conseguiu concretizar. Taí o Cordas Rompidas, publicado, lido e resenhado por um monte de gente.

Parabéns, Rafa!!

2 comentários:

  1. Ela parece uma fofa, então faz sentido o livro ser tb fofo. Tomara que ela tenha sucesso no caminho dela! Valorizando nossa literatura nacional, ainda mais os iniciantes! Porque o caminho aqui é bem árduo msm...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Rafa é uma grande promessa, e realmente pensei muito antes de escrever a resenha para que ela não a desencorajasse, mas sim a estimulasse a sempre se aprimorar.

      Vale muito à pena valorizar a literatura nacional, porque daqui a alguns anos seremos nós que estaremos exportando nossos títulos para o exterior e encantando todo mundo com as estórias brasileiras! :)

      Bjus!!

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...