Notícias de Rapture: Os vídeos fofos de J. R. Ward no Facebook

Peixinhos, tá todo mundo animado para o lançamento de Rapture amanhã?

Certeza de que a Gabizinha aqui tá ansiosa!!! (com direito a 3 exclamações)

Ainda por cima porque a WARDen fica colocando vídeos na sua página no Facebook pra deixar a gente com mais água na boca ainda. Eu sou meio analfa digital, então não sei dizer como, por que ou onde estão esses vídeos, a verdade é que para vê-los você precisa entrar no Facebook... Saaaahhrry...

Leia mais...

Kibando: [Meme] "Doença" de Livros

A Elimar, aquela coisa fofa do Alquimia dos Romances, publicou esse Meme que eu achei divertidíssimo e resolvi fazer minha versão aqui no Peixinho.

Espero que vocês gostem e que se divirtam.

E Blogeiras do meu Brasil, façam também!!!

1 - Diabetes: um livro muito doce.

(crédito da imagem para Woogle)

Final feliz previsível, mas um livro fofinho de ler.

2 - Catapora: um livro que você leu e não lerá de novo.

(crédito da imagem para Livros, Bobagens e Guloseimas)

Nuoooossa... Uma das maiores torturas literárias da minha vida...

3 - Ciclo Menstrual: um livro que você relê constantemente. (só um parênteses: ciclo menstrual NÃO é doença!)

(crédito da imagem para Dark Faerie Tales)

Se tem uma coleção que eu já reli pra cacete é a Irmandade da Adaga Negra, mas de todos, Lover Awekened, com meu Zsadist maravilhoso, foi o que eu mais reli. E já está dando vontade de reler novamente! Hehehehe

4 - Gripe: um livro que se espalhou como vírus.

(crédito da imagem para Digital Literacies)

Confesso que nunca tinha visto tanta histeria em torno de um livro. 

5 - Asma: um livro que tirou seu fôlego.

(crédito da imagem para Damon Suede)

Não só tirou meu fôlego, como me fez suar e ter de trocar de calcinhas algumas boas vezes!! Huahahahahaha

6 - Insônia: um livro que tirou seu sono.

(crédito da imagem para Leitura Crítica)

Não consegui dormir até terminar esse diabo desse livro!!

7 - Amnésia: um livro do qual você não se lembra muito bem.

(crédito da imagem para Leitura Escrita)

Não me apedrejem! O livro é muito bom, mas são 650 páginas, um monte de personagens, trocentos pontos de vista e eu também estava vendo ao série da HBO, então está tudo muito confuso e eu não me lembro muito bem...

8 - Má Nutrição: um livro que tem falta de conteúdo para reflexão.

(crédito da imagem para Livros e BlaBlaBlá)

Poderia ter sido qualquer um dos volumes da coleção House of Night. Extremamente sem conteúdo.

9 - Jetlag: um livro que te leva pra outro tempo / lugar.

(crédito da imagem para Livros em Português)

Toda a coleção A Busca do Graal do Bernard Cornwell te transporta para a Europa do século XIV. Também, né, o autor é historiador. Altamente recomendado!! É uma das melhores séries históricas que eu já li.

10 - Desidratação: um livro que fez você chorar sem parar. (essa doença fui eu que coloquei!)

(crédito da imagem para Leia Essa Crônica)

Nem gosto de lembrar... Eu chorava copiosamente a cada página que virava desse livro. É muito emocionante, é muito triste. Uma obra prima brasileira. Mas você tem de estar com a caixa de Kleenex do lado.

Espero que vocês tenham gostado, porque foi muito divertido de fazer!
Leia mais...

Teasers de Rapture - Parte X: Liberados no FB dia 18/09/2012



Estamos chegando perto do lançamento de Rapture! Faltam 4 dias!!!! Acho que nossos trechinhos estão chegando ao fim, mas enquanto isso, confiram o teaser que a WARDen postou dia dia 18/09/2012 na sua página do FB (página da J.R.Ward no Facebook).

'Rapture's out a week from today, 9/25! I'm starting videos tomorrow, and here's another little taste below! Preorder if you haven't already at:
Barnes & Noble:
http://bit.ly/O0e8Fh
Kindle:
http://amzn.to/PBf1DL
Amazon (physical book):
http://amzn.to/MWWQTW 

'When he put the shades on, they transformed his face into something . . . undeniably dangerous.
And unrelentingly sexual.
A shaft went through the center of Mels body, hitting her in a place that hadn’t been alive for the longest time.
“Better?” he said roughly.
“I think so.”
-Rapture, pg. 77'

Tradução livre do Peixinho:

"Rapture será lançado daqui a uma semana, dia 25/09! Vou começar a postar os vídeos amanhã e aqui embaixo vai um gostinho do livro! Compre pela pré-venda se você ainda não comprou em:
Barnes & Noble:
Kindle:
Amazon (physical book):

'Quando ele colocou os óculos escuros, eles transformaram seu rosto em algo... inegavelmente perigoso.
E inexoravelmente sensual.
Um arrepio passou pelo corpo de Mels, acertando ela num lugar que não estava vivo fazia um longo tempo.
- Melhor? - ele perguntou asperamente.
- Acho que sim.'
Rapture, pág. 77"

Agora é contagem regressiva para o lançamento de Rapture!
Lo-ou-ca para abrir esse livro!!!!! Estou na onda de reler os volumes anteriores de Fallen Angels e ficando cada vez mais pilhada com a estória.
Pra quem não leu, o Peixinho REALMENTE recomenda!
Leia mais...

Crave, ou Desejo - Volume II da Série Fallen Angels: SPOILERS!!!

Não foi sacrifício nenhum engatar no segundo volume da coleção Fallen Angels. Depois do final eletrizante de Covet, a gente fica lokinha pra saber o que vai rolar nos próximos capítulos.

Tá, ok, eu também já tinha lido a versão tupiniquim de Crave, o Desejo (publicado em 2011 pela Universo dos Livros), e tinha achado ainda melhor que o primeiro volume. Acho que foi depois que eu tive de aceitar que não tinha jeito: só ia rolar um volume da Irmandade por ano.
Então das duas uma: ou eu passava metade do ano emburrada porque não tinha Irmão novo ou aproveitava o talento indiscutível da J. R. Ward e me deleitava nos anjos caídos mais deliciosos da literatura muderna.
"Because angels don't exist any more than vampires and werewolves did."
Grier ChildeCrave, Cap. 19, pág. 175
Tradução livre do Peixinho
 "Porque anjos não existem, tanto quanto vampiros e lobisomens."

(crédito da imagem para I'd So Rather Be Reading)
Vem sijogar em Crave que vocês não vai se arrepender, Peixinho!

Sobre o livro:
Crave foi lançado em 2010, depois de Lover Mine e antes de Lover Unleashed.
Ele continua contando a saga de Jim Heron, o anjo caído com a incumbência de salvar sete almas humanas (sim, porque ninguém consegue me convencer que os bichinho não têm alma), cada uma delas atormentada por um dos sete pecados capitais.

Fazendo a recontagem dos pecados:
  • Soberba;
  • Inveja;
  • Ira;
  • Preguiça;
  • Avareza;
  • Gula;
  • Luxúria.
Apesar de não haver nada explícito no Covet, eu, por minha própria conta, acho que o personagem principal do primeiro volume, o redimido Vincent DiPietro, sofria do pecado da Avareza. Por isso tá riscadinho ali em cima.

Só em Crave ficou claro que cada um dos times escolhe uma alma por vez, então, o Vin DiPietro de Covet foi escolhido pelo Nigel e agora é a vez da Devina escolher.

Nesse segundo volume, Jim vai ao resgate de Isaac Rothe, um ex-colega da famigerada equipe de XOps comandada por Matthias
Tal como Jim, Isaac também não aguenta mais as missões e toda a culpa que fazer o que eles faziam traz pra sua alma, e resolve dar um perdido e se pirulitar mundo afora. Só que a gente tem de lembrar que Matthias, o CPT (Chefe da Porra Toda) da XOps, é onisciente e vai caçar Isaac por todo o globo, se for preciso. E quando encontrar não vai ser bacana.

Nesse volume tem sobrenatural pra todo gosto. Tem anjo caído; anjo sem cair, mas bem inescrupuloso; tem demônio com TOC; tem alma penada. Tem di um tudo, minina! Hehehehe

Não vou colocar qual o pecado que eu acho que é o principal desse livro porque tenho minhas consideração a fazer ali embaixo na área sem lei dos spoilers. Aí a gente discute sobre isso.

Isaac, fugindo do seu chefe, resolve levantar uma grana lutando WMA clandestino pelos subúrbios de Boston. E numa batida policial, o cara é levado em cana. Uma defensora pro-bono (aquele pessoal que se voluntaria para defender presos sem dinheiro para pagar seu próprio advogado. Acho que aqui no Brasil nós não temos essa figura, porque a defensoria pública se encarrega desses casos. Mas, advogados do Brasil, me corrijam se eu estiver errada), a querida Grier Childe, pega o caso. E ela não desiste de nada nem de ninguém, além de ter um compromisso ferrenho com o que é correto e dentro da Lei.
"What had been brought out of holding [...] was about six feet, four inches of solid muscle. Her client was 'dressed in', which meant he had his prison garb on, amd his hands and feet were shackled together and linked with a steel chain that ran up the front of his legs and went around his waist. His hard face had the kind of hollow cheeks that came with zero body fat, and his dark hair was cut short like a military man's.[...]
[...]Just as she was wondering whether he had an undisclosed disability, he spoke. 'Yes, ma'am' His voice was so deep an arresting, she stopped breathing. Those two words were uttered with a softness that was a total odds with the size of his body and the harshness of his face. And his accent... vaguely southern, she decided."
Grier ChildeCrave, Cap. 4, pág. 42
Tradução livre do Peixinho
"O que foi trazido sob custódia [...] tinha cerca de 1,93 m de músculo sólido. Seu cliente estava 'vestido', o que queria dizer que ele estava usando o uniforme da prisão, e suas mãos e pés estavam algemados juntos e ligados por uma corrente de aço que subia pelas suas pernas e dava a volta na sua cintura. Seu rosto duro tinha aquele tipo de bochechas encovadas que são características de zero de gordura corporal, e seu cabelo escuro foi cortado curto como um homem do meio militar.[...]
[...]Bem quando ela estava se perguntando se ele não teria algum tipo de deficiência não descoberta, ele falou.
- Sim, s'nhora.
Sua voz era tão profunda e cativante, que ela parou de respirar. Aquelas duas palavras foram ditas com uma suavidade que não fazia nenhum sentido com o tamanho do seu corpo e a dureza do seu rosto. E seu sotaque... vagamente sulista, ela resolveu.
Ah, e é claro que o Isaac é um lindo, tímido e doce pedaço de mau caminho fabricado no Mississipi, e a Grier também é uma mulher lindíssima e inteligente. Que que vocês acham que vai dar? Huahahahahaha

Mais uma vez a trama é muito bem desenvolvida e consegue te prender do início ao fim. Depois da resistência inicial do primeiro volume (e como minha amiga Mary pontuou muito bem nos comentários de Covet, a gente precisa ler esses dois primeiros livros umas 2 vezes pra entender melhor como funciona esse novo universo. Assim como ela, só comecei a entender melhor em Envy, o 3º volume da série) dá pra aceitar os livros da coleção Fallen Angels com mais facilidade.
A WARDen é muito boa na construção dos personagens, na amarração da trama, nas reviravoltas surpreendentes e na frequência da sua narrativa. Esse livro pisa um pouco no freio da trama pra que a gente consiga se situar melhor, já que o primeiro foi uma correria que deixava a gente um pouco confusa.

Gostei muito desse dois novos personagens. A Grier é uma mulher mais madura, inclusive mais velha que o Isaac, e não tem aquele nhe-nhe-nhé adolescente que me irrita profundamente. Ela também não é choramingona como algumas personagens femininas (inclusive da própria WARDen). A Grier mete as caras, sacode a poeira e levanta a cabeça novamente, quantas vezes for necessário.
O Isaac tem algo irresistível: aquele aspecto de fera domada, como um tigre de estimação. Ele é dócil, fala baixo, humilde, submisso, mas tem toda aquela força contida, e você tem muito medo da sua explosão, porque sabe que ele poderia fazer um grande estrago, se quisesse.

E eu tenho um fraco por esse personagens ferozes. Taí o Zsadist, que me conquistou desde o primeiro momento, com aquela ameaça no olhar, tentando afastar a Bella e conter um sentimento crescente no seu peito. Issac, junto com o meu Blaylock, que tem essa característica contida também, dividem espaço no meu coração! <3
.
.
.
.
.

Vamos começar a fofocar sobre o livrinho?

SPOILERS!!!
Antes de começar a ler a versão brasileira, a Desejo, já mandei um facepalm. Plis, gentem... Capas com mais classe, porfa!

(crédito da imagem para The Best Images)
Não que a capa original de Crave, ou mesmo a versão para Inglaterra e Reino Unido seja assim essa Brastemp toda, mas essa capa aí embaixo é bem breguinha, vai...

(crédito da imagem para Minha Vida por Um Livro
Uma boa correção que a WARDen fez nesse livro em relação ao anterior foi realmente colocar as pragas das descrições físicas dos personagens.
  • Jim Heron:
"Jim Heron was exactly as Isaac remembered him: big, jacket, and nothing but business. The blue eyes were the same, the blond hair was still mostly buzzed off, the face was freshly shaven as always. He even had a Marlboro quietly smoldering in his hands."
Isaac RotheCrave, Cap. 9, pág. 78
Tradução livre do Peixinho
 "Jim Heron estava exatamente como Isaac se lembrava: grande, casca grossa, e direto ao ponto. Os olhos azuis eram os mesmos, o cabelo loiro continuava quase totalmente raspado, o rosto recentemente barbeado como sempre. Ele até tinha um Marlboro tranquilamente aceso em suas mãos."
  • Adrian Vogel
"Adrian, last name Vogel, was precisely the kind of whack job who'd be into a bunch of stiffs having a lie-down in refrigerator units: Pierced, leathered, tattoed [...]"
Jim HeronCrave, Cap. 2, pág. 17
Tradução livre do Peixinho
 "Adrian, sobrenome Vogel, era precisamente o tipo de lunático psicótico que estaria no meio de um monte de cadáveres enfiados em pequenas geladeiras: cheio de piercings, vestido em couro, tatuado. [...]"
  • Edward Blackhawk:
"[...]Eddie was his usual biker-ass self, that thick braid of hair running down the back of his leather jacket. With square jaw, and his tanned skin, and his red eyes, he reminded Jim of an Incan war god - fucker had fists the size of most men's heads, and shoulders you could easily land an airplane on."
Jim HeronCrave, Cap. 2, pág. 17
Tradução livre do Peixinho
 "[...] Eddie estava com sua usual pinta de motoqueiro, aquela trança grossa de cabelos descendo pelas costas da sua jaqueta de couro. Com seu queixo quadrado, e sua pele escura, e seus olhos vermelhos, ele lembrava a Jim um deus Inca da guerra - o filho da puta tinha punhos do tamanho da cabeça da maioria dos homens, e ombros onde você poderia facilmente pousar um avião."
Não sei se vocês também não tinham uma noção coerente de quem era a Devina, afinal de contas, mas nesse livro eu até me assustei! Ela é muito mais poderosa do que parecia a princípio.
"The demon Devina was as close to all-powerfull as you could get without being the one who had created the Earth and the heavens: She could assume all manner of visages and bodies, becoming anyone at any time in any place. She could imprison souls for an eternity. She commanded an army of the undead."
Crave, Cap. 3, pág. 26
Tradução livre do Peixinho
 "O demônio Devina era quase tão poderosa quanto você pode ser sem ser aquele que criou a Terra e os céus: ela podia assumir qualquer tipo de rosto e corpo, se transformando em qualquer pessoa, em qualquer tempo, em qualquer lugar. Ela podia aprisionar almas por uma eternidade. Ela comandava um exército de mortos-vivos."
Mas o mais hilário é que apesar disso tudo, ela está frequentando sessões de terapia com sua psicóloga porque tem Transtorno Obsessivo Compulsivo, o famoso TOC, aquela doença do Roberto Carlos! Huahahahahaha 
Ela não consegue desapegar das coisas que ela rouba das almas que possui, ela detesta sua verdadeira aparência e ela detesta seu sangue cinza e não vermelho.

Um ponto que fiquei na dúvida, e se alguém conseguir me explicar eu fico agradecida: como foi que ela conseguiu por as mãos na rainha de madeira do jogo de xadrez que o Jim esculpiu? Não lembro de ela ter invadido a casa dele, ou de ele ter dado isso a ela. Também não há explicações sobre isso no livro. Meio furado.

E eu devia desconfiar que não era nada daquilo que eu estava pensando quando vi que a Devina estava tentando juntar o Isaac e Jim. Se o Isaac era a bola da vez, ela deveria tentar afastar ele cada vez mais, não é?

Assim como no Covet, os personagens tem um pezinho no além. Dessa vez é a Grier que é assombrada pela alma penada do seu irmão Daniel, que morreu de overdose. Ele fica dando dicas e, como toda alma penada, fala tudo pela metade. Mas não pense que ela acha ruim ou se assusta com isso, Grier espera ansiosamente pelas visitas do irmão falecido e não deixa a alma dele descansar direito. Desapega, garota!
Agora, foi foda a ligação que a WARDen fez entre a morte do Daniel, a escolha da Grier pra representar o Isaac, o Alastair Childe, pai da Grier e o Matthias. Genial!!!

(crédito da imagem para Fantastic Fiction)
Entre os anjos lá do Paraíso o drama é seguir ou não as regras, já que Devina claramente não está seguindo. Em tese ela deveria ficar de fora somente influenciando as almas através de Jim, mas está agindo diretamente, o que fere o acerto. Colin acha que a turma dos anjos deve deixar a timidez de lado e passar a jogar sujo também, senão vão se ferrar.

Sobre uma dúvida que eu tinha e que muita gente também ficou, lá no finalzinho, capítulo 42, página 395, a Devina faz umas observações super pertinentes. Afinal Jim foi escolhido por não ser nem bom, nem mau, e ele foi aceito porque os dois times acharam que ele poderia ser influenciado para seu lado. Só que isso foi uma grande idiotice, pois desde a primeira alma Jim fez de tudo para que ela fosse para o lado do bem, deixando a Devina em desvantagem. Como ela disse:
"That son of a bitch was a savior in sinner's clothes [...]"
Devina, Crave, Cap. 43, pág. 395
Tradução livre do Peixinho
 "Aquele filho da puta é um salvador vestido de pecador [...]"
E é por isso que ela se envolveu tanto, porque não tem ninguém lá embaixo representando o seu lado. Que saber, a despeito do quanto ela é filha-da-puta, eu acho que ela tá certa. Por isso acho o Nigel muito mau caráter. E no final, com o sangue de Jim ficando cada vez mais prateado, o cara está realmente virando um anjo. Injusto.

Ainda sobre os anjos, foi depois de ler esse trecho que vou colocar abaixo que eu comecei a achar tudo muito suspeito entre Nigel e Colin.
"Indeed, the quarters that he shared with Colin were well kitted-out and the sojourns they took therein were not for any sleep necessity, but for recharging of a diferente kind."
Nigel, Crave, Cap. 8, pág. 71
Tradução livre do Peixinho
"Deveras, o alojamento que ele dividia com Colin era bem equipado e as jornadas que eles passam lá dentro não são por nenhuma necessidade de sono, mas para recarga de um outro tipo."
Os alas de Jim também são cheios de segredos. Não é que as costas de Eddie são todas marcadas com o mesmo tipo de padrão que Devina marcou na barriga da garota que ela matou no seu banheiro em Covet?!?! Como será que Eddie virou anjo caído?!?!?! OMG!!! Mais mistérios!

Agora, vou falar da maior paixão desse livro: AMO O ISAAC!!!!!!!

(crédito da imagem para Seven Gray Fall)
E acho fortemente que o Tom Hardy (o Bane do Batman, O Cavaleiro das Trevas, pelo qual fiquei completamente paxonada) é um Isaac Rothe perfeito!
Amo sua modéstia, amo ele deixar as botas do lado de fora para não sujar a casa da Grier, amo ele ter cuidado com as coisas, fazer questão de limpar tudo, arrumar o armário da Grier como um gesto de despedida. Ele ser tão enorme de forte, mas tão solitário e frágil ao mesmo tempo.
Ele e Jim, de acordo com o dossiê do pai da Grier, precisam de um "imperativo moral", ou seja, é indispensável um motivo moralmente justificado, para matar alguém.

Mas, principalmente, AMO quando ele diz: Yes, ma'am.
E como ele foi parar entre as foleiras da divisão XOps do Matthias? Outra daquelas sacadas excelentes da WARDen: ele foi selecionado, pois o governo monitora os jogadores de sKillers, aquele jogo que o Blay, o Qhuinn e o John Matthew sempre jogavam!
Sobre a sua tatuagem nas costas de Isaac, é um Grimm, The Reaper igualzinho o do Jim. Ele finalmente explica que essa tattoo não é opcional. Todos os soldados da divisão XOps tem uma, e cada morte é registrada na forma de traços abaixo do Ceifador.

Mais coisas sobre o Jim: ele é mais poderoso do que Adrian e Eddie jamais foram. Matthias dá dois tiros no peito dele e nada acontece. Quem já leu Envy e Lover Reborn sabe muito bem que os anjinhos não são assim tão invencíveis. Devina tá boladona.
Tão boladona que, pra deixar Matthias em paz, ela exige uma noite com o Jim. E o que ela faz com Jim é absolutamente degradante, humilhante e revoltante. O pior é que ele aguenta o tempo todo sem gritar e sem abrir os olhos. Devina quase cai de amores por ele.
Mas ele já está completamente obcecado pela garota que foi pendurada no banheiro da Devina lá atrás em Covet. E, humilhado e destruído como ele estava após a sessão de tortura sexual da Devina no seu poço, ele finalmente encontra com a garota, que se chama Cecilia Barten, ou Sissy. Certeza de que ele vai fazer de tudo para libertá-la daquele tormento. E a WARDen já entregou que ele vai ficar com ela no final. Só quero ver como vai ser isso...

Só depois de chegar praticamente ao final do livro é que a gente tem a super surpresa de descobrir quem é a alma a ser salva. No começo Jim pergunta a Nigel quem é a tal alma e o safado só responde que salvar a vida de Isaac é a resposta. Porra!!
A resposta é: não pode deixar Matthias ou Jeremiah, aliás, Martin O'Shay Thomas (seria ele irlandês?) matar Isaac, porque Matthias é que é a alma atormentada!
"The man who entered the apartment had black hair and tanned skin and he was wearing a dark suit under a trench coat. A patch covered his right eye, and he used a cane to balance his tall body.[...]
[...]The chilly smille he gave was the sort of thing thet made you want to to take a step back. Unfortunately she was already against the counter, so there was nowhere to go."
Grier Childe, Crave, Cap. 20, pág. 189
Tradução livre do Peixinho
"O homem que entrou no apartamento tinha cabelo preto e pele bronzeada, e estava usando um terno escuro sob um sobretudo. Um tapa olho cobria sua vista direita, e ele usava uma bengala para equilibrar seu corpo alto.[...] 
[...]O sorriso frio que ele deu era o tipo de coisa que fazia você querer dar um passo pra trás. Infelizmente ele já estava encostada ao balcão, então não tinha mais pra onde ir."
Agora é que são elas. Fiquei muito na dúvida sobre qual é o pecado de Matthias. Não é a Gula, não é a Preguiça. A Avareza já foi. Inveja não pode ser, já que o próximo volume se chama... Envy, ou inveja em português. Apesar do livro se chamar Crave, ou Desejo, Matthias não tem nada de Luxúria. Fiquei entre Ira e Soberba. No final acho que é a Ira.

E Devina estava jogando com ele há pelo menos 2 anos, influenciando Matthias através do seu segundo em comando (aliás, que bosta! por que ele não tinha um nome?), por isso escolheu essa alma para o segundo round. E numa reviravolta absurda, o cara chegou para buscar e matar Isaac na casa da Grier, mas invés disso deu um tiro na própria cabeça. E o corpo, com o demônio ainda possuindo o cadáver, mandou a foto do estrago para um Matthias louco de ódio.
E, por mais que Jim realmente tentasse convencer Matthias que ele estava sob influência de um demônio, que não devia continuar com a ideia de matar Issac, a gente não sabe o que se passa pela cabeça do diabo do doido do Matthias, nem pra onde ele está indo: se é atrás do Isaac ou da Grier. Porque ele não quer só matar o cara, ele quer espizinhar, e eu, até aqui ainda não entendi o porquê.

Até o final o próprio Matthias está na dúvida sobre o que é pior: ele matar o Isaac, ou ele matar a Grier e deixar Isaac vivendo com a culpa de ter sido o responsável pela morte dela. E Nigel impede Jim de influenciar mais, afinal...


"If one break the rules... punishment flows."
Nigel, Crave, Cap. 47, pág. 424
Tradução livre do Peixinho
 "Se alguém quebrar as regras... a punição se precipitará."

Quando os dois se enfrentam na cozinha da casa do pai dela, foi foda pra caralho descobrir que o Isaac tinha pegado o colete de kevlar do "Segundo em Comando", o homem sem nome. E, por conta disso, quem se fudeu foi o Matthias, que vai lá para o poço da Devina curtir um inferninho.

Apesar disso, os anjos perderam essa briga, já que não interessa que o Isaac não tenha morrido, Matthias ter escolhido agir pelo mal é que definiu o vencedor: Devina. Porém, lembrando que ela enganou o pai da Grier e se fantasiou de Jim para desviar a atenção dos dois e permitir que Matthias conseguisse entrar na casa.
E a demônia tá louca de paixão pelo Jim, o que ele pode e vai usar contra ela daqui pra frente.

E, afinal, o nome do livro, que não tem nada a ver com o pecado em questão, é porque Devina fala para Jim:


"I crave you..."
Devina, Crave, Cap. 51, pág. 444
Tradução livre do Peixinho
 "Eu desejo você..."
E uma pista do que vai rolar em Rapture (já que não é novidade pra ninguém que Matthias vai voltar) é que Jim deseja "redimir" Matthias.

Fechando a tampa, Daniel aparece para Grier pela última vez colocando a mão na barriga dela, dizendo que ela tem um motivo pra viver e que "Daniel" será um excelente nome. Aff... Mais uma vez a WARDen vem com essa história de que um filho é o desfecho dos sonhos pra toda mulher... Achei muito fraco isso, viu? Ela já tinha usado essa no conto The Story of Son e no Lover Awekened.
Ah, mas ele diz uma coisa importante: ele diz que estava no "In Between". Ou seja, isso já tinha sido colocado na mesa antes de Lover Reborn!

Questões a serem respondidas: tanto Adrian quanto Lassiter tem o corpo todo furado de piercings. No início eu achava que era só um fetiche da WARDen por caras desse estilo, mas depois que Adrian mandou entregar um piercing de platina para Grier com inscrições dentro, eu acho que algum tipo de feitiço de proteção.

Melhor trecho do livro:
Pra finalizar, que eu já me estendi muito (nuvidade...) vou colocar aqui a parte mais engraçada do livro, na minha opinião.


"'"Freak" is also a word.'
On that note, Ad put some 'Super Freak' out of his vocal cords, doing a fantastic Rick James impression. In the lilac bushes. In... where the hell were they? Roosevelt, Massachussetts? Or was it Adams?
Washington?
'By all that is holy,' Eddie muttered as he covered his ears, 'stop-'
'-in the name of loooooove.' Putting his hands out, Ad switched it up and Diana Ross-ed it, shaking his ass. 'Be...fore...you...breaaaaak...my-"
Adrian e Eddie, Crave, Cap. 46, pág. 416
Tradução livre do Peixinho
 "-'Aberração' também é uma palavra.
Nessa hora Ad colocou pra fora de suas cordas vocais uma versão de 'Super Freak', fazendo uma fantástica imitação de Rick James. Nos arbustos de lilases. Em...onde diabos eles estavam? Roosevelt, Massachussetts? Ou era Adams?
Washington?
- Por tudo o que é mais sagrado, - Eddie resmungou enquanto cobria suas orelhas, - stop...
-...in the name fo loooooove. - colocando as mãos para o alto, Ad jogou elas pra cima e Diana-Rosseou, balançando sua bunda. - Be...fore...you...breaaaaak...my..."

Tem como não amar esses dois? Huahahahaha

Agora, direto para o Envy!
Apesar de não ter nada nesse livro sobre o próximo personagem, quem leu Lover Unleashed no meio tempo, sabe que é sobre o Thomas DelVecchio Jr, ou Veck. Aquele espetáculo todo.

Tá precisando se apaixonar de novo? Abre o Envy e leia sobre o Veck!




Leia mais...

Teasers de Rapture - Parte IX: Liberados no FB dia 10/09/2012


Como de praxe, o Peixinho traz pra você as últimas novidades da página da WARDen no FB (página da J.R.Ward no Facebook).

Mais um trechinho de Rapture foi publicado dia 10/09/2012, e aqui embaixo aquela tradução marota que só o Peixinho faz. Só que não.
Hehehehehe

'He dipped his chin and stared at her over the tops of the Ray-Bans. "I don't want you to be alone with me. It's too dangerous"
She paused with a French fry halfway to her mouth. "No offense. But considering your physical condition, I could break your both legs and have you unconscious in a New York minute." As his brows shot sky-high, she nodded. "I'm black belt, licensed to carry a concealed hand weapon, and I never go anywhere without a good knife or my gun."
She gave him a quick smile, picked up her chicken salad, and bit into her usual. "So, what do you say?"'

Rapture, pgs. 80-81

Out 9/25/21! 
Barnes & Noble:
Kindle:
Amazon (physical book):

Tradução livre do Peixinho:

"Ele baixou seu queixo e a encarou por cima de seus Ray-Bans.
- Eu não quero que você fique sozinha comigo. É muito perigoso.
Ela parou com uma batata frita a meio caminho da sua boca.
- Sem querer ofender, mas considerando suas condições físicas, eu poderia quebrar suas duas pernas e colocar você inconsciente em um milésimo de segundo. - enquanto as sobrancelhas dele subiam para o céu, ela afirmou com a cabeça. - Eu sou faixa preta, com licensa para carregar uma arma de mão oculta, e eu nunca vou a nenhum lugar sem uma boa faca ou minha pistola.
Ela lhe deu um sorriso rápido, pegou seu sanduíche de salada de frango, e deu uma mordida no seu almoço de sempre.
- E aí, o que você acha?"

 Rapture, págs. 80-81

Lançamento em 25/09/2012
Barnes & Noble:
Kindle:
Amazon (physical book):

Ali na data da WARDen, onde está 9/25/21, é isso mesmo. Ela colocou assim na sua página do FB. Não quis mudar pela licença poética. Hehehehehe

"New York Minute", segundo o Urban Dictionary, é:
"O menor espaço de tempo mensurável do Universo. Aproximadamente igual ao tempo entre o sinal de trânsito ficar verde na cidade de Nova York e o motorista de taxi atrás de você apertar sua buzina."
Como é mais uma daquelas expressões idiomática intraduzíveis, achei que o "milésimo de segundo" representa bem o que ela quis dizer.

"Chicken Salad" é aquele delicioso sanduíche recheado com uma espécie de pasta de maionese feita de peito de frango (eu prefiro a salada de atum). Os americanos, doidos as always, costumam tomar um super café da manhã, com ovos, bacon, feijão (!) e depois fazer um almoço besta, só um sanduíche. "Her usual", pra mim, se refere ao que ela usualmente escolhe para almoçar.

Fiquem à vontade para contestar.
Leia mais...

Lançamentos em romances no Isteites: Recomendações da Amazon pra Setembro.

Tô ganhando alguma coisa pra fazer isso? Não.

Mas acho bacana que meus fiéis leitores (todos os 7. hehehehe) também fiquem por dentro do que a Amazon está lançando em setembro, porque se a gente for depender só do que é lançado aqui, tamo fu.

Um dos motivos de eu não ter parcerias com editoras (além daqueles que tá todo mundo careca de saber) é porque eu acho que o que é publicado por aqui é muito filtrado pelas editoras, já que, apesar de crescente, o mercado literário brasileiro é muito imaturo. 
Eu digo imaturo em todos os sentido possíveis da palavra:
  • A maioria das publicações é voltada para um público mais jovem. E eu ando bem cansada de livros com personagens chatas de 17 anos. Gentem, ninguém que eu conheço, que tenha tido ou tenha hoje 17 anos, é tão pentelha quanto a Luce de Fallen, ou a Zoe de House of Night, ou a Becca de Hush Hush;
  • As editoras optam por suavizações em textos que originalmente foram escritos para um público mais maduro tentando fazer com que esses textos sejam mais "aceitáveis" para esse público mais jovem;
  • As editoras parecem não ter departamento de marketing que funcione. Parecem todas muito amadoras. Não são boas no estudo das preferências do seu público. Esse frizzon todo por conta de 50 Tons de Cinza aconteceu porque ninguém tinha feito uma pesquisa de demanda decente que identificasse o público que está ávido por uma literatura mais consistente e adulta.
E, outro motivo, que eu acho bem importante, é atiçar a curiosidade de todas as pessoas lindas e maravilhosas que ainda não lêem em inglês. Ler não vai garantir que você domine a língua inglesa completamente, mas facilita muito a vida.
É inegável que o inglês é o Esperanto do terceiro milênio (há previsões de que isso pode mudar para o mandarin, mas vamo vê qualé) e que o quanto melhor você conhecer a língua, mais fácil se comunica em qualquer lugar do mundo.

Tá, e o principal é que os livros bãos, bãos mermo, aqueles que te fazem ficar órfã quando eles terminam, aqueles que mudam seus paradigmas, aqueles que fazem você trocar de calcinha 10 vezes e reler o mesmo trecho sem parar, esses livros não são publicados em português pelas editoras mainstream falsas-moralistas que a gente tem por aqui.

Sem mais delongas, vamos ao que a Amazon recomendou para a gente nesse mês:

The Marriage Bargain, de Jennifer Probst
(O Contrato de Casamento, tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem! :-*
Um casamento apenas no nome...
Para salvar a casa de sua família, uma impulsiva dona de livraria, Alexa Maria MacKenzie, lança um feitiço de amor. Mas ela nunca planejou conjurar o irmão mais velho de sua melhor amiga, um homem poderoso que já tinha despedaçado seu coração. O bilionário Nicholas Ryan não acredita em casamento. Mas para herdar a companhia de seu tio, ele precisa de uma esposa, e precisa de uma rápido. Quando ele descobre que a amiga de infância de sua irmã está em grandes dificuldades financeiras, ele faz a Alexa uma proposta atrevida.
Um casamento apenas no nome com certas regras: Evitar confusão. Ser profissional. Não se apaixonar. O acordo é só por um ano, então as regras não serão difíceis de serem cumpridas, certo?
Só que o destino dá um jeito de desfazer os melhores planos...

Ah, ok. Não é nada muito novo, mas há quem goste.


A Tale of Two Vampire, de Katie MacAlister
(Um Conto de Dois Vampiros: Um romance dos Seres das Trevas, tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na 
imagem!
Nem sempre o tempo está do lado de um vampiro...
Iolanthe Tennyson teve um ano muito ruim, em parte culpa de um homem muito ruim em sua vida. Por isso ela aceitou um convite de sua prima para passar o verão na Áustria a fim de satisfazer seu desejo por fotografia, que é seu hobby. Rumores de uma floresta mal assombrada por ali levam Iolanthe pra dentro das árvores sombrias, e de volta ao século 18.
Nikola Czerni é um homem amaldiçoado, forçado pelos seus irmãos a ser um Ser das Trevas. Mas sua triste existência toma um curioso desvio  quando uma mulher tagarela e desconhecida é colocada em seu caminho. Iolanthe diz conhecer a filha de Nikola, 300 anos no futuro. Ela também sabe que o destino - na forma dos meio irmãos assassinos dele - está esperando por ele. Se ela soubesse as consequências de mudar o passado para salvar um bom e impossivelmente sexy, vampiro...

Cla-a-ro que a palavra "vampiro" acende uma lâmpada na minha cabeça, né. Agora, que porra de nome escroto é esse que a autora resolveu dar para a personagem principal? Whatafuck!


The Course, de Sherrilyn Kenyon e Dianna Love
(A Maldição: Coleção Beladors , tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
 imagem!
Evalle Kincaid vai lutar até a morte pelos seus amigos sobrenaturais.
Mas quando a heroína durona de Sherrilyn Kenyon e Diana Love revela seu segredo mais sombrio, quem dentre aqueles em quem ela confiou vai continuar ao seu lado?
Com a liberdade de toda uma raça em jogo, Evalle tem dois dias para honrar uma promessa que ela, de repente, não tem mais nenhuma esperança de cumprir, quando o demônio Svart Trolls invade Atlanta. Ela dá um voto de confiança, pedindo ajuda a um homem que recentemente a colocou na sua mira - o especialista de Operações Especiais, Isak Nyght. Enquanto tenta parar as guerras sangrentas das gangues liderada por trolls. Evalle involuntariamente expõe um segredo que coloca em risco tudo o que ela mais preza e complica sua, já tumultuada, vida amorosa com o misterioso Skinwalker, Storm.
Mas quando ela descobre que é o alvo número 1 no plano impiedoso do povo de Medb para destruir todos os Beladors, a Alterant mortal é forçada a tomar uma decisão que vai mudar o jogo, mesmo sem tempo sobrando pra isso.

Essa sinopse não foi de muita ajuda. Afinal, só quem já lê e conhece a coleção Belador sabe do que diabos se trata! Esse é o terceiro livros de uma trilogia, que tem como primeiro volume o livro Blood Trinity e o como segundo volume o livro Alterant. Tenho o Amante da Fantasia da Sherrilyn Kenyon, que foi muito bem recomendado, mas ainda não li. Pra quem já conhece a autora: #fikadika


A Fools Gold Christmas, de Susan Mallery
(O Natal de Fools Gold , tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem!
A impiedosa alegria em Fool's Gold ["Ouro de Tolo"], Califórnia está trazendo à tona o embuste na vida da dançarina Evie Stryker. Ela aprendeu cedo que milagres de Natal não acontecem, pelo menos para ela. E este ano não parece exceção. Uma contusão a força a voltar para a porta da família, não importa que eles sejam distantes. Ela não vai adicionar ao cenário complicado uma sedução pelo feitiço bad-boy do melhor amigo de seu irmão, o último homem com quem ela jamais deveria sair. Mesmo quando ela é recrutada para se apresentar no festival de inverno de Fool's Gold, ela aceita, como prometido, então tocará sua vida em qualquer lugar, menos ali. O estafado advogado Dante Jefferson está acostumado à cidade pacata que ele agora chama relutantemente de lar, mas o barulho dos pequenos pés da dançarina sobre seu escritório temporário é mais do que qualquer homem tem de aguentar! Quando ele confronta sua maravilhosa professora, ele não estava preparado para a atração que o devasta até a alma. Evie é irmã de seu melhor amigo - fora de cogitação - a não ser que ele esteja afim se arriscar seu coração. Dante sempre acreditou que amor é a força mais perigosa do universo, mas isso foi antes de ele ter de contar com a magia de certa cidade pequena, onde milagres realmente parecem acontecer.

Meio besta, né? Pense num livro que eu não vou comprar. Só de olhar a capa uma palavra pisca na minha cabeça: "brega", "brega".


The Undead In My Bed, de Katie MacAlister, Molly Harper e Jessica Sims
(O Morto-Vivo na Minha Cama , tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem!
Nos bastidores, esses amantes ganham vida!

Katie MacAlister conjura faíscas sobrenaturais em Tons de Cinza
Uma equipe de TV está filmando um reality show paranormal nos porões de uma propriedade imponente da velha República Checa. Mas a paixão eletrizante por trás das câmeras é o que é libertado para o mundo. Quando Noelle, uma Guardiã, conhece o vampiro Grayson, que tem vagado por 3 séculos, ela desperta uma fome dolorida nele que só o seu toque pode aliviar...

Molly Harper prepara risadas e emoções em Sublocatário Morto-Vivo
Depois da superatarefada chef de cozinha de Chicago, Tess, cair fora (todo mundo consegue ouvir aquela rúcula falando, ou sou só eu?), ela aluga uma casa tranquila em Half-Moon Hollow ["Vale da Meia Lua"] por um mês para descanso e relaxamento. Mas quando ela descobre que o lugar é ocupado por um maravilhoso vampiro de cair morta, o apetite de Tess - por comida caseira, pequenas cidades do Kentucky e por seu amante irresistível - se torna quase insaciável!

Jessica Sims excita os sentidos em Com as Presas de Fora
Quando a solitária metamorfo-jaguar [foi a única maneira que eu consegui de traduzir a porcaria do termo] consulta uma casamenteira paranormal, ela espera finalmente esquecer o término de um relacionamento que partiu seu coração com seu único e verdadeiro amor, um humano proibido. Nervosamente concordando com um primeiro encontro às escuras com um vampiro, ela descobre o perfume intoxicante e picante dele, sua voz grave, sexy e muito familiar...

Esse é um livro de coletânea de contos de diferentes autoras, provavelmente escritos entre uma série e outra. Não é muito comum a gente ver esse tipo de livro traduzido aqui no Brasil. Se bem que a Universo dos Livros publicou o Mistérios Noturnos, com o conto super fofo (e imperdível!!!) História Familiar (outra tradução equivocada para o nome original The Story of Son: A Estória de Filho) da musa J. R. Ward, e contos da Sherrilyn Kenyon, Susan Squires e Dianna Love.


My Scandalous Viscount - Inferno Club, de Gaelen Foley
(Meu Vergonhoso Visconde - Clube do Inferno, tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem!
Conheçam os homens corajosos do Clube do Inferno, que enfrentam seu maior desafio até agora: o casamento! 
Sebastian, visconde de Beauchamp, vive por um código de honra, e sua honra agora dita que ele deve se casar com a senhorita Carissa Portland. Ele não tem arrependimentos sobre roubar um beijo da adorável intrometida - um castigo adequado por ela colocar seu delicioso nariz onde não deve. Mas agora, pego em uma situação comprometedora, ele sabe que deve torná-la sua noiva. Ele enfrentou perigos antes, mas nada como isto! 
Carissa não é uma fofoqueira, ela é uma "dama de informação." E tudo o que ela estava tentando fazer era avisar o imoral Beauchamp sobre um marido irado. Mas, mesmo ela não pode expor a Sociedade, e enquanto sua cabeça lhe diz que Beau é um canalha notório, seu coração - e seu corpo - são atraídos por seu feitiço perigoso. Mas quando Carissa, em seguida, vai fuxicar mais segredos, é que ela descobre que o Clube do Inferno pode ser ainda mais perigoso do que se apaixonar por seu próprio marido.

Deteeeeesto romances históricos. Detestoooooooooo. Então esse livro definitivamente não está na minha whishlist. Sabe por que detesto? Porque de históricos não têm nada. Os autores simplesmente colocam um romance mequetrefe acontecendo lá pelos idos dos séculos 18 ou 19, sem fazer nenhum tipo de pesquisa sobre as regras de etiqueta e comportamento do pessoal daquela época.
Aff, desabafei.



Riveted - A Novel of the Iron Seas, de Meljean Brook
(Rebitado - Um livro da coleção Os Mares de Ferro, tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem!
O autor de O Duque de Ferro e Coração de Aço, best-sellers do New York Times, retorna aos Mares de Ferro com uma fascinante nova aventura de romance fumegante. 
Um século depois de uma erupção vulcânica devastadora, que forçou habitantes da Islândia a abandonar suas margens, a ilha tornou-se envolta em lendas. Mas a verdade por trás das lendas é mecânica, não mágica - e o mistério da ilha é uma questão de vida ou morte para uma comunidade de mulheres que já derramaram sangue nobre para garantir a sua liberdade. 
Cinco anos atrás, Annika involuntariamente pôs em perigo o segredo, mas o sua irmã Kalla assumiu a culpa e foi exilada. Agora Annika serve em um dirigível, em busca de sua irmã e desejando voltar para seu lar. Mas esse lar é ameaçado quando o líder da expedição científica David Kentewess vem a bordo, procurando expor os segredos de Annika. Em seguida, ocorre um desastre, deixando David e Annika presos em uma geleira e perseguidos por um louco, com a sua própria sobrevivência dependendo de manter o calor aumentando entre eles - e gerando muito vapor...

Parece engraçadinho. Bem diferente das estórias que eu costumo ler, mas ao mesmo tempo parecido.. Acho que vale dar uma chance (quando eu conseguir terminar a pilha infinita de livros pra serem lidos...)



Lord of the Temptation - Lost Lords of Pembrook, de Lorraine Heath
(Senhor da Tentação - Senhores Perdidos de Pembrook, tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem!
Três jovens herdeiros, presos por um tio inescrupuloso, fogem - para o mar, para as ruas, para a batalha distante - aguardando o dia em que voltarão para reclamar seu direito de nascença. 
Era uma vez, ele foi o Senhor Tristan Easton - agora ele é Crimson Jack, um corsário notório, que não deve nada a ninguém, cuja única amante é o mar. Mas tudo isso vai mudar quando a requintada Lady Anne Hayworth contrata sua proteção em uma viagem para o perigo e a sedução...
O desespero levou Anne ao bucaneiro bronzeado, de olhos azuis. Mas depois de o capitão exigir um beijo como o seu pagamento, o desejo vai mantê-la ao seu lado. Ela nunca conheceu tentação como esta, mas para proteger seu coração, ela sabe que deve deixá-lo para trás. No entanto, Tristan não consegue esquecer a beldade facilmente e, quando eles se encontram novamente em um salão de Londres, ele jura que não vai perdê-la uma segunda vez, enquanto a paixão ardente reacesa leva-los em águas desconhecidas que podem levar o segundo Senhor Perdido para casa...

Eu teria vergonha de andar com um livro com essa capa por aí. Mais uma da série "breeeeega". Outro dos romances pseudo-históricos que não fazem minha cabeça. Esse é o segundo volume dessa trilogia, onde cada um dos irmãos chamados Lordes Perdidos retorna do seu exílio para tentar conquistar de volta o que é seu por direito. Pra quem gosta, é um prato cheio.


Guardian - Dark Ops, de Catherine Mann
(Guardião - Operações Especiais, tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem!
Eles fariam qualquer coisa pelo o país. 
E tudo um pelo outro. 
Depois de um mau entendido nas Operações Especiais, o Major David Berg encontra-se no centro de um processo militar. É uma corrida contra o tempo para desenterrar e raiz da verdade, e a Major Sophie Campbell não está tornando isso mais fácil. A gostosona inconsequente quer derrubar a unidade de David, e rápido. Seu testemunho é fundamental para ganhar um caso que vai deslanchar a sua carreira. Tudo o que Sophie tem que fazer é ignorar o charme imperturbável dessa testemunha, sua enervante boa aparência, e uma presença forte e sólida, que atrai sua atenção. 
Não é fácil para David, também. Sua atração por esta beldade mandona está transformando ele de dentro para fora. Mas esses adversários têm mais em comum do que desejo, secreto mútuo. Há um traidor em algum lugar nas Operações Especiais e agora, para encontrá-lo, David e Sophie devem trabalhar juntos - implacavelmente, incansavelmente, e tão intimamente que poderia ser condenadamente quase fatal.

Quando eu vi que era um livro com um homem sozinho na capa, e que se passava numa unidade de Operações Especiais (opa, Jim Heron, tamo aí! Hehehehe) achei que seria de um fofo casal M/M. Mas não. Mesmo assim até parece legalzinho. Um clima meio Dan Brown, sei lá. Só divagando.



Don't Cry For Me - Rebel Ridges Novel, de Sharon Sala
(Não Chore Por Mim - Um livro da coleção Cumes Rebeldes, tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem!
Mariah Conrad voltou para casa. Gravemente ferida em serviço no Afeganistão e finalmente liberada pra voltar ao seu país, ela não tem família para chamar e nenhum lugar para ir, até que Quinn Walker chega em sua cabeceira. Quinn... seu irmão de armas, ex-amante e agora talvez o seu futuro. 
Quinn leva Mariah para sua cabana nas montanhas Apalaches de Kentucky para descansar e se recuperar fisica e emocionalmente. Mesmo estando incrivelmente grata, Mariah também está confusa e frustrada. Ela sempre se apoiou em seus próprios dois pés, mas agora até isso pode ser, literalmente, uma tortura. Ela está tendo flashbacks e desmaios, ouvindo barulhos de helicóptero durante a noite. Ela quer afastar Quinn - e segurá-lo mais perto do que nunca. 
Mas será que ela vai ter a chance? Esses helicópteros são mais do que apenas estresse pós-traumático, eles são reais e perigosos. Coisas ruins estão acontecendo na montanha. De repente, há uma batalha a ser travada na frente de casa, e não há garantia de sobrevivência.

Esse norte americanos e sua fixação pelas forças armadas... Esse também é um romance com o exército como pano de fundo. E, se a gente acreditasse mesmo em tudo o que lê, pareceria que tem mulher pra caramba de farda por aí. E mais, que todas elas são lindas e charmosas e corajosas e fortes. Tá, e a tradução de "Rebel Ridges" para "Cumes Rebeldes"? Meio besta, né? Mas eu acho que deve ter alguma coisa a ver com as dunas em constante mutação no deserto do Afeganistão. Maybe.



Deep Blue, de Kat Martin
(Azul Profundo, tradução livre do Peixinho)

(crédito da imagem para Amazon)
Para comprar o livro, clique na
imagem!
Para a repórter Hope Sinclair, escrever sobre o resgate de um tesouro afundado ao largo da ilha espanhola Pleasure Island ["Ilha do Prazer", ô clichê...] deveria ser sua grande chance. No entanto, Hope não pode deixar de sentir que ela foi escolhida a dedo para este trabalho por todas as razões erradas. Alguém quer Hope fora de Nova York - e fora de uma história que poderia deixar um caso de corrupção escancarado. Mas se eles acham que mandá-la para um paraíso vai calá-la, eles vão ter uma surpresa. O caçador de tesouros e ex-Fuzileiro Naval, Conner Reese não está feliz em ter Hope para o passeio. Ele não precisa de publicidade, nem quer uma ruiva linda deixando sua equipe - e ele próprio - distraído. Mas há algo mais. Conner pode sentir um extremo perigo, e o perigo está seguindo Hope Sinclair muito, muito de perto.

Outro livro que a capa dá uma vergonha na gente. Conselho de amiga: coloque sempre seu marcador na frente da capa quando estiver lendo esses livros em público. Sei que pareço falsa-moralista, mas a verdade é que eu realmente acho que as editoras poderiam fazer umas artes mais bacanas e com mais classe.

Enfins, peixada, acho que a gente tem bastante opção esse mês, sem esquecer o lançamento de Rapture dia 25.
Quem lê em inglês pode se jogar, e quem ainda não lê: olha aí 11 motivos pra começar a tentar.

Beijocas!!
Leia mais...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...