Mais livros que viraram filmes

Ontem fiz uma postagem sobre livros que viraram filmes inspirado por essa reportagem do Yahoo aqui.

Mas como não só de Young Adult vive o cinema, o Peixinho deu uma olhadinha rápida aqui nas suas prateleira e separou outros livros que também viraram filmes. Alguns até no estilo Young Adult e que foram injustamente esquecidos!


Olha só o que ficou de fora:


Trilogia Senhor dos Anéis (J.R.R. Tolkien)

Dá vontade de ler de novo!!!

Se eu fosse falar da genializade desses livros e de como J.R.R. Tolkien é góde, gastaria meus dedinhos até o toco aqui neste teclado.
É "O" livro obrigatório para qualquer um que ouse dizer que gosta de ler. Enquanto você não leu O Senhor dos Anéis, ainda é um neném. Senta ali no cantinho do feio.

Os filmes também são embasbacantes. Vi na estréia, tsá!
E tenho os blue rays das versões de diretor - com quase 4h de filme cada um dos 3! Huahahaha
E vejo amarradona.

Dá pra notar como eu gosto de Senhor dos Anéis pelo estado do meu livro. Não tenho conta de quantas vezes já reli.
Eu tenho a versão de 1210 páginas com os três livros, mas é comum que se encontre a trilogia dividida conforme os filmes:
1º Volume: A Sociedade do Anel (1974)
2º Volume: As Duas Torres (197?)
3º Volume: O Retorno do Rei (1979)



O Hobbit (J.R.R. Tolkien)

Também já li fáaaaaaarias fezes... Hehehehe

É um livrinho despretencioso.
Parece que vô Tolkien escreveu pra garotada só por diversão.
Eu fiz a burrada de ler depois de Senhor dos Anéis e achei infantil porque é um livro pra crianças.
Pois bem, com suas 296 páginas e estória cheia de reviravoltas, achava que era um livro "inadaptável" para o cinema.

Sorte a nossa que eu estava completamente enganada!!
Peter Jackson, o mesmo diretor da trilogia O Senhor dos Anéis, e Guillermo Del Toro (Labirinto do Fauno e Hellboy) conseguiram a proeza de transformar esse livrinho em três filmes du caralhuuuuuu!!!

O primeiro, O Hobbit, Uma Jornada Inesperada já foi surpreendente (há pouco tempo vi a versão estendida e pirei o cabeção), mas o segundo O Hobbit, A Desolação de Smaug foi fenomenaaaaaaal!!!!!!!!!!!!!!!!! (olha quantas exclamações!).
Estamos aqui na expectativa para o terceiro O Hobbit, Lá e De Volta Outra Vez e da versão estendida do segundo.


Diário de um Banana (Jeff Kinney)

Tenho os seis primeiros livrinhos dessa série.

Desde a primeira vez que pus os olhos no Diário de Um Banana, foi amor incondicional!
O livro é muito engraçado! Milhões de vezes mais engraçado do que os filmes - vi todos.

Peixinho fez postagem sobre o Dias de Cão. E todos os livrinhos seguem mais ou menos a mesma fórmula: Greg Heffley (o banana) escreve num diário sobre alguns dias de sua vida, sempre de forma engraçadinha e infantil (ele é um garotinho). O interessante é que Greg é uma criança verdadeira: manipulador, mentiroso, egoísta como quase todas as criancinhas são.
Os livros mostram isso sobre os ponto de vista dele, que acha muito natural as pequenas sacanagens que ele apronta com seus pais, irmãos e amigos.
Mas o ponto forte são os desenhos feitos pelo autor, Jeff Kinney, como se fosse o próprio Greg.

Espero sempre ansiosamente cada lançamento e vou continuar comprando porque esses livros são uma fofura!
E a série tem um blog que é muito legal!!! Acessem o Diário de Um Banana - Blog e divirtam-se!

A série Diário de Um Banana consiste de:
1º Volume: Diário de Um Banana (2008)
2º Volume: Diário de Um Banana: Roddrick é o Cara (2009)
3º Volume: Diário de Um Banana: A Gota D'Água (2010)
4º Volume: Diário de Um Banana: Dias de Cão (2011)
5º Volume: Diário de Um Banana: A Verdade Nua e Crua (2011)
6º Volume: Diário de Um Banana: Casa dos Horrores (2012)
7º Volume: Diário de Um Banana: Segurando Vela (2013)


As brumas de Avalon (Marion Zimmer Bradley)

Romance sobrenatural das antigas

Cráaaaassico da literatura sobrenatural!
É a estória (assim, com "e" mesmo, já que não há nenhuma evidência de que seja verdadeira) do Rei ArthurGuinevereLancelot e a Távola Redonda.

Li pela primeira vez ainda adolescente! Muito por influência da minha grande amiga Fatise, que usava um crescente azul na testa todos os dias ao ir para a escola! Hehehehehe #Adolescentes...

O mote dessa coleção é contar a estória do Rei Arthur pela ótica sobrenatural, com um Merlin poderoso e mágico e outros elementos fantásticos, como a misteriosa cidade de Avalon, onde era quase impossível chegar.
Esse foi um dos primeiros livros onde vi misturado sobrenatural com erotismo. Tem umas cenas que chocaram minha mente inocente na época.

Já li e reli um monte de vezes. Os livros são fininhos. Mas o filme, feito em 2001, tentou abarcar toda a complexidade da estória em parcos 183 minutos. Ou seja, ficou muito aquém dos livros.
Mesmo assim recomendo ver.
Apesar de que os livros são imperdíveis e devem ser lidos de toda maneira pelos leitores amantes de romances sobrenaturais.

A série As Brumas de Avalon consiste de 4 volumes:
1º Volume: A Senhora da Magia (1989)
2º Volume: A Grande Rainha (19??)
3º Volume: O Gamo-Rei (19??)
4º Volume: O Prisioneiro da Árvore (19??)


Sangue Quente (Isaac Marion)

Apaixonando-nos por um zumbi.

Também tem resenha no Peixinho sobre Sangue Quente.
Foi uma proposta diferente, pois é um romance sobrenatural com o personagem mais improvável e pouco sexy dentre os seres sobrenaturais: um zumbi.

Pois é. Isso é que foi bacana: transformar um monstro fedido, apodrecendo e burro em um par romântico possível.
Eu achei que o Isaac Marion foi bem sucedido.

Gostei do livro e me decepcionei com o filme. O livro é bem amarradinho e mais coerente que o filme. No filme fizeram uma escolha de final totalmente diferente do livro e isso me deixa possessa.
Mas as músicas no filme são fofas: tem Patience do Guns n' Roses. Ou seja, derreti.


Como treinar seu Dragão (Cressilda Cowell)



É uma fofura de livro. Com uma pegada muito mais engraçada do que o filme.
O Peixinho quase fez resenha do Como Treinar Seu Dragão. Eu digo "quase" porque na postagem digo o porque de não ter terminado de ver o filme, mas sequer tinha lido o livro.

A opção de fazer a versão cinematográfica como desenho caiu muito bem.
A única diferença: não é a mesma estória.
Terminei de ver o filme, e é uma fofurinha de filme. Também li o primeiro livro.
No filme, Soluço é um pré adolescente espertinho vivendo numa aldeia viking. A estória é fofa, de superação e amizade, muito bem feita e envolvente.

Já o livro é genial!
O que ele tem de genial é que ele é como se fosse uma estória escrita por uma criancinha nas suas aventuras imaginárias, saca? A voz do autor é de uma criancinha fofa, que desenha nas páginas, com manchas de tinta, personagens engraçados e lugares imaginários.
Os desenhos do livro são tosquinhos, feitos com lápis, lápis de cera, as linhas tortas. A estória é super singelinha. É um excelente livro para crianças.

Recomendo que vejam o filme e também leiam os livros. São completamente diferentes, porém todos divertidos.


Eragon (Christopher Paolini)



A história se repete: há anos na prateleira sem nunca ser lido.
Também não vi o filme.
Mas vale a citação.


A Hospedeira (Stephenie Meyer)



É claro que o que mais me motivou a ler esse livro foi o fato de ele ter sido escrito pela mesma autora da saga Crepúsculo.

Estava cética, acreditando que Crepúsculo foi um golpe de sorte. Mas não é que achei A Hospedeira um livro bem legal?
A estória é surpreendente e diferente das que estão (ainda) rolando por aí. Se passa num futuro onde a Terra foi colonizada por uma raça alienígena que se apropria dos corpos dos terrestres para evitar que eles se destruam em guerras e coisas afins.
Os alienígenas são do bem, mesmo assim há um grupo de resistência, que se recusa em ser dominado por eles.

Quando Melanie Stryder, humana parte da resistência, é capturada e tem um alienígena implantado em seu cérebro, ela se recusa a abandonar sua consciência.
Então tanto a alienígena - Peregrina - e Melanie ficam apaixonadas pelo mesmo homem.

Há pouco tempo vi o filme e achei muito bacaninha e fiel ao livro. Gostei bastante.
Recomendo os dois.


Coleção Millenium (Stieg Larsson)

Fenomenais!

Foi por um acaso que descobri da existência dessa coleção.
A ex mulher barbada do meu irmão, apesar de todos os seus inúmeros defeitos, me recomendou e me emprestou os livros dela. Eu li e achei tão bom que comprei os meus.

A estória é bem bacana. Os bastidores são sobre a Revista Millenium e seu editor Mikael Blomkvist, que será preso por calúnia ao denunciar uma operação fraudulenta de uma grande indústria. No primeiro livro, antes de começar a cumprir pena, ele é contratado por um senhor muito rico para descobrir o que aconteceu no desaparecimento de uma menina há quase 50 anos.
Os Homens que Não Amavam as Mulheres é de tirar o fôlego. Bem no estilo corre-corre dos livros do Dan Brown, pra vocês terem uma ideia.

Durante todo o primeiro livro, Mikael contou com a ajuda de Lisbeth Salander, uma mulher fora do comum tanto na aparência quanto nos talentos. Ela é inteligentíssima e é hacker. Também é vítima de abuso sexual, apesar de estar longe do padrão de beleza que nos vendem por aí.

No segundo livro seu tutor é morto e ela termina sendo acusada por isso. Entre a descoberta de uma rede de tráfico de mulheres e a defesa de Lisbeth, o livro voa! Imperdível!!

O terceiro livro é sobre o desmascaramento da internação de Lisbeth como incapaz quando ela tinha 12 anos. A trama é de tirar o fôlego. O que eles descobrem eu não vou falar aqui, mas é completamente inesperado e foda.

A série Millenium consiste de 3 volumes:
1º Volume: Os Homens que Não Amavam as Mulheres (2008)
2º Volume: A Menina que Brincava com Fogo (2009)
3º Volume: A Rainha do Castelo de Ar (2009)

E os filmes...
Os filmes suecos (porque a trama foi escrita por um sueco e se passa da Suécia) são perfeitos!!!
Os suecos filmaram os três volumes em 2009. Virei fã incondicional da Noomi Rapace porque ela é a Lisbeth Salander mais fucking awesome do mundo!!!
Imperdíveis! (Deu vontade de ver de novo...)

Os americanos, que não podem deixar ninguém em paz, filmaram Os Homens que Não Amavam as Mulheres em 2012 com Daniel Craig no papel de Mikael Bomkvist. E ficou ótimo!!!
Agora, cadê A Menina que Brincava com Fogo? Parece que ninguém está afim de continuar com a trilogia nos Isteites e que o Daniel Craig queria uma fortuna pra atuar. Dizem até que é possível que a produtora simplesmente corte o personagem Mikael Bomkvist do filme! Sacrilégio!!!


Percy Jackson e os Olympianos (Rick Riordan)

Li tudo de uma só tacada.

Esse livros apareceram na minha vida depois da recomendação de uma amiga: seu filho amava. Um garotinho de 12 anos! Huahahaha
Eu li e amei também!
Tanto que levei os quatro livros seguintes depois de O Ladrão de Raios para o Chile e li TUDO!

É inevitável a comparação com Harry Potter. E, pra ser sincera, é uma grande chupada de Harry Potter sim.
Percy pula de escola em escola (humana) sem conseguir ficar mais de um ano em nenhuma por causa da confusão que os seres mitológicos fazem quando o encontram, e não se encaixa no mundo dos humanos. Ou seja, cada livro é um ano, igualzinho a HP.
Durante as férias ele vai para uma "colônia de férias" para semideuses como ele. E sempre rola uma grande aventura a cada ano.
Ele descobre de que grande deus mitológico ele é filho e tem uma grande missão de evitar que o mundo se acaba. Tipo o Harry Potter, saca?
Ah, e ele é sempre desacreditado e não endeusado como o salvador da galera, mesmo que tenha feito coisas inacreditáveis. Como o Harry.

Mesmo assim, devorei!
Gostei bastante mesmo e recomendo para os fãs de HP matarem a vontade desse tipo de literatura.

A série Percy Jackson consiste de 5 volumes:
1º Volume: O Ladrão de Raios (2008)
2º Volume: O Mar de Monstros (2009)
3º Volume: A Maldição dos Titãs (2009)
4º Volume: A Batalha do Labirinto (2010)
5º Volume: O Último Olimpiano (2010)

Já o filme achei uma bosta.
Só vi o primeiro. E mesmo com o fofo do Logan Lerman como Percy Jackson, o filme foi uma verdadeira merda. Primeiro que Percy tem 12 anos no livro e o Logan Lerman tem, acho que 16. Pelo menos foi assim que o personagem foi retratado.
De resto, todas as alterações toscas na estória só foderam com a porra toda.
Ou seja: esse filme é totalmente dispensável.

Ano passado rolou Percy Jackson e o Mar de Monstros no cinema. É claro que eu sequer me cocei para ir ver essa coisa.
Du-vi-do que seja remotamente bom.


Clube da Luta (Chuck Palahniuk)



Não tenho muito o que falar: o livro é foda e o filme é foda.
Se você nunca leu o livro, até perdoo, mas não ver o filme é um crime!
Brad Pitt e Edward Norman dão um show de interpretação. E o filme é igualzinho ao livro!

Não falo mais nada (se bem que não falei praticamente coisa nenhuma! Huahaha).
Pelo menos, vejam o filme!!!


Precisamos Falar sobre Kevin (Lionel Shriver)

Um soco no olho.
Cara, essa estória é um tapa na cara!!!!
Tanto o filme como o livro são perfeitos!

Kevin é um garoto que desde sempre odiou a mãe. Desde bebê ele fazia de tudo para maltratar e humilhar a mãe. Enquanto a mãe falava para o pai que ele a odiava, o pai dizia que ela estava exagerando...
Não houve (muitos) episódios de desentendimento entre mãe e filho, mas está claro que eles nunca se gostaram - por um milhão de motivos que só lendo o livro para saber. Hehehehe
E sempre que a mãe comenta com o pai que Kevin não gosta dela, ou que faz as coisas mais maquiavélicas com ela, o pai põe panos quentes.
E deu no que deu...

A estória é muuuuuuuuuuuuuuuuuuito foda!
Eu fiquei muito impressionada com o livro e com o filme. Amo a Tilda Swinton, pra começo de conversa, néan?
Eu pensei em fazer uma resenha tão, mas tão bacana sobre esse livro, que percebi que daria um trabalhão. Fiquei com preguiça e não fiz! :-)

Mas não sejam como a Gabizinha: não tenham preguiça!
Leiam o livro e vejam o filme. Muito fodãnnnnnn.


As Crônicas de Nárnia (C.S. Lewis)

Contemporâneo e amigo de J.R.R. Tolkien.

Sempre rola uma compareichon do C.S. Lewis com o Tolkien.
Os dois foram contemporâneos e eram amigos. Escreviam e se mandavam suas estórias para o outro fazer suas considerações e tudo.

Enquanto Tolkien foi bem aceito aqui no Brasil desde os anos '70, parece que Lewis nunca teve uma boa penetração. E as diferenças entre os dois são muitas.
Tolkien escreveu somente um livro mais voltado para crianças: O Hobbit, que apesar de ser voltado para crianças, não tem criança como personagem, e sim um tipo de adulto meio infantilizado (Bilbo faz o elo com o público).
Lewis escreveu vários livros para crianças com crianças no enredo.

Esse exemplar aí em cima tem 7 livros dentro, na ordem abaixo (que não é a mesma do lançamento de cada livro):
- O Sobrinho do Mago (1955)
- O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (1950)
- O Cavalo e Seu Menino (1954)
- Príncipe Caspian (1951)
- A Viagem do Peregrino da Alvorada (1952)
- A Cadeira de Prata (1953)
- A Última Batalha (1956)
No verbete Crônicas de Nárnia do Wikipedia eles deixam claro que há uma diferença entre a ordem de publicação e a ordem de leitura. A ordem de leitura indicada é essa apresentada aí em cima.

Confesso que nunca tive paciência para ler mais de um livro. Emprestei o volume para meu pai, que retornou todo esbagaçado (ele cuida muito mal dos livros, mesmo aqueles que são emprestados).
O único filme que vi foi o primeiro a ser lançado aqui no Brasil: O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa. E achei meio nhé. Mais uma vez, quem salva é a Tilda Swinton - Musa!! Diva!!!


Frankenstein (Mary Shelley), Drácula (Bram Stoker) e O Médico e o Monstro (Robert Louis Stevenson)

Cráaaassicos!

Todos viraram filmes.
Há mais de uma versão para cada uma das estórias.
todos são clássicos imperdíveis.

Frankenstein é uma estória muito foda, porque fala sobre o pré-conceito que temos por causa das aparências e também discute o quanto a nossa personalidade é definida por isso.

Drácula tem aquela versão cinematográfica famosíssima com Winona Rider, Keanu Reeves e Gary Oldman como Drácula. Acho que foi a quebra de paradigma na percepção do vampiro, porque a gente sabe que é um monstro sanguinário e impiedoso, mas é muito sensual.
Todos os nossos vampiros pirocudos e pegadores devem muito a Bram Stoker.

O Médico e o Monstro também tem uma versão noir de 1941. Mas essa estória deu margem a outros filmes, por exemplo, as duas versões de Professor Aloprado (a de Jerry Lewis e a de Eddie Murphy).
É a estória de um químico que desenvolve uma poção que o modifica (dependendo da versão, a modificação pode ser física, psicológica ou os dois). Ele fica dependente dessa droga que inventou e comete várias atrocidades. Depois fica louco, pois não consegue reproduzir os efeitos.


Código da Vinci (Dan Brown)

Leitura dinâmica!

Tem um público bem jovem que entra aqui no blog. Talvez esse pessoal não se lembre de como foi a febre de O Código da Vinci em 2004. TODOMUNDOLEU!
Cada um que lia vinha te contar sobre esse livro espetacular de olhos arregalados.

E realmente, esse é um dos livros mais fodásticos que já tive o prazer de ler.
Acontece todo em 24 horas. E acontece de tudo!
Tem desde Leonardo da Vinci, à seita misteriosa, à Jesus histórico.

Gente, o Dan Brown é um dos pesquisadores mais repetaculares do planeta. A galera que está começando a escrever agora tem que usar ele como exemplo. O cara arrasa nas pesquisas e quase não deixa fio solto.

O filme é bonzinho, vai.
Não concordo com o Robert Langdon escolhido: na minha mente NUNCA, JAMAIS seria o Forrest Gump. Hehehehe


Anjos e Demônios (Dan Brown)



Esse livro é o melhor do Dan Brown na minha opinião.
Melhor até do que O Código da Vinci.
A estrutura da narrativa é muito parecida. Acontece também tudo em 24 horas, misturando ciência, religião e os monumentos e lugares marcantes do Vaticano (quem visitou o Vaticano sabe como o livro é fiel).

Mais uma vez achei o filme aquém.
Mas vale uma caída pra ver Obi Wan Kenobi como Papa. Hehehe


O Diário de Bridget Jones (Helen Fielding)

Visão machista disfarçada de feminista.

Dá preguiça falar desse livro.
Retratar as mulheres como enroladas, confusas, inseguras, como seres que só se preocupam com futilidades, com o peso, com o bofe... Aff...
Esse livro é assim, mostrando a visão redutiva machista sobre as mulheres em "tons pastéis". O livro usa o humor para perpetuar e vender para todos essa imagem de maluca, dizendo que todas as mulheres se identificam um pouco com a Bridget.

Se a gente fingir que não entende, até vale umas risadas. Mas é meio deprimente...
Como se a vida de uma mulher só fosse perfeita se ela tiver o corpo perfeito e o namorado perfeito ao lado. Senão ela é só uma ser do qual a gente acha graça.

O filme com René Zellweger, Hugh Grant e o queridinho Colin firth segue a mesma linha.
Não vou mentir: já vi várias vezes e achei divertido. Mas a crítica ao machismo é coisa nova pra mim e retira essa lente cor-de-rosa que a gente tem por conta de ter sido ensinada assim pela sociedade.


Comer, Rezar e Amar (Elizabeth Gilbert)

Mais um livro que li emprestado e depois comprei meu exemplar só pra ter

Mais um livro que todo mundo leu.
Uma amiga me emprestou dizendo que tinha gostado muito. Li, gostei e comprei só pra ter.

Gostei bastante da temática: uma mulher resolve fazer uma viagem sabática e escolhe três países cujos nomes começam com a letra "I": Itália, Índia e Idonésia.
Na Itália ela se lança aos prazeres gastronômicos, conhece gente e faz amizades; na Índia ela reencontra seu caminho através da meditação e autoaprendizado; e na Indonésia ela encontra o amor em um brasileiro.

Preconceituosa como sou, imaginei que a parte que menos iria gostar seria "rezar", já que de cara pensei que a narrativa seria piegas e proselitista (quando alguém tenta te converter à uma religião). Mas me enganei redondamente. Essa parte fala de como foi o caminho dela, sem tentar vender a religião que ela praticou como a melhor. O resultado foi que essa foi a parte da qual mais gostei no livro todo.

A que menos gostei foi "amar".
Não pelo "amor", em si, mas porque garrei raiva no povo indonésio que, por trás do sorrisinho e fala mansa, tenta passar a perna nos outros.

Não vi o filme.
Falaram mal e eu acreditei. Até porque, com tanto ator brasileiro dando sopa por aí, por que foram chamar o Javier Bardem pra fazer o par da Julia Roberts? Tudo bem que atóron o Javi, mas não tinha necessidade, vai...


Marley e Eu (John Grogan)

Vamo chorar como bebês?

Tá bom, quem teve ou tem cachorro, leu esse livro e não chorou, ou está mentindo ou é a pessoa mais insensível do planeta. Fique longe de mim, tsá? #BeijoNãoMeLiga

Conta a estória de uma família com o passar dos anos e sua relação com um cachorro extremamente mal-educado, o Marley.
É muito bacana. Mostra o casal novo ainda, se estabelecendo, crescendo profissionalmente e como casal, mostra a chegada dos filhos, mostra as mudanças, as escolhas de vida: tudo isso costurado com as atrocidades que o cachorro apronta.

Numa boa, Marley é um pesadelo! Sei o que é ter um cachorro peste, porque o Axl (meu golden retriever) foi uma praga até completar 1 ano e meio. Mas eles tiveram que lidar com um cachorro chato por anos! Coitados...
O que o Marley apronta tem tudo a ver com os momentos do casal e por isso o livro é tão legal.
Só que cachorro dura pouco, né... Então, dá pra saber o que acontece no final.

Hoje em dia meu cachorro é o cachorro mais bem educado que conheço. É um orgulhinho!
Por isso é até difícil pensar que daqui a cinco, seis anos, ele também vai estar se despedindo da gente...
Então, não tem como não chorar com o livro e com o filme.

Falando em filme, gostei bastante da versão cinematográfica com a Jennifer Aniston e o Owen Wilson.
E, claro, chorei litros.

Um comentário:

  1. Amo Senhor dos Anéis de todo coração! :D
    Achei que só eu tinha essa versão gigante! hehehe

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...